Notícias



11.05.2015 | Paraná volta a discutir a venda de conveniências em farmácias


Mais uma vez volta-se a discutir a proibição de venda de alimentos e outros produtos correlatos em farmácias do Estado do Paraná. A Secretaria de Saúde do Estado do Paraná lançou há poucos dias uma consulta pública sobre o assunto e em seu site também abriu espaço para que a população envie sugestões sobre o texto do decreto de lei.

Para grande parte dos empresários do ramo a proibição da venda de conveniências e outros produtos considerados correlatos é um retrocesso. Vender um suco, biscoito, água mineral ou leite, não acarreta em nenhum problema de saúde para as pessoas, aliás é um direito adquirido há muitos anos pela população do estado, relata José Darcio Glapinski, diretor e proprietário da Rede de Farmácias Fleming que possui 20 unidades neste regime. José Darcio Glapinski que é farmacêutico complementa falando que uma farmácia com atendimento em regime Drugstore emprega pelo menos 15% a mais de pessoas que uma drogaria comum e que só vê benefícios com farmácias vendendo conveniências, inclusive com a geração de impostos oriundos da venda destes produtos.

Sugestões ao texto da Secretaria de Saúde poderão ser enviadas até o dia 15 de maio através do e-mail: visa@sesa.pr.gov.br